Construção - Reforma - Manutenção

Construção - Reforma - Manutenção
Clientes encantados é a nossa meta!

domingo, 11 de janeiro de 2015

Depois do “Abraçaço” do seu mano Caetano Veloso, Maria Bethania brinda os seus fãs com “Abraçar e agradecer”





Maria Bethânia mostra no palco da casa Vivo Rio o show comemorativo de seus 50 anos de carreira, Abraçar e agradecer. A estreia do espetáculo foi ontem, sábado (10/1), no Vivo Rio (RJ), com direção de Bia Lessa, a cantora interpreta canções que marcaram sua trajetória, como A tua presença (Caetano Veloso), Gostoso demais (Dominguinhos e Nando Cordel), Rosa dos ventos (Chico Buarque) e Começaria tudo outra vez (Gonzaguinha)


A escolha do Rio de Janeiro para o início da turnê não foi por acaso afinal, foi na Cidade Maravilhosa que, em 13 de fevereiro de 1965, a intérprete baiana fez sua estreia oficial nos palcos, aos 18 anos, substituindo a cantora capixaba Nara Leão (1942 - 1989) no elenco do teatralizado show Opinião. Embora a rigor Bethânia já esteja em cena desde 1963, a histórica estreia no Opinião é o ponto de partida de trajetória luminosa nos palcos do Brasil. 

Poemas

Faz parte do script de Bethânia, os poemas entremeados comas músicas e, em “Abraçar e Agradecer”, ela recita poemas de Clarice Lispector, Waly Salomão e Fernando Pessoa, entre os blocos de canções. Um dos músicos da banda que a acompanha é o contrabaixista Jorge Helder - responsável, também pela regência - que iniciou a trajetória em Brasília.

Mosaico de discos

Com produção musical de Guto Graça Mello, o show Abraçar e agradecer passa em revista essa trajetória, misturando músicas do álbum Meus quintais (Biscoito Fino, 2014) com canções - nada óbvias... - gravadas pela cantora ao longo desses 50 anos de carreira. Dividindo o palco com banda formado por Jorge Helder (regência e baixo), João Carlos Coutinho (piano e acordeom), Paulo Dafilim (violas e violão), Pedro Franco (violão, bandolim e guitarra), Marcio Mallard (cello), Pantico Rocha (bateria) e Marcelo Costa (percussão), ela agrada em cehio o seu público.

Bethânia coloca a sua marcante voz ainda a músicas como A tua presença morena (Caetano Veloso, 1971), Nossos momentos (Caetano Veloso, 1982) - música-título do show que gerou o álbum ao vivo de 1982 - e Eterno em mim (Caetano Veloso, 1996), além de Agradecer e abraçar (Gerônimo e Vevé Calazans, 1999), música que inspirou o título do atual espetáculo com que Bethânia celebra cinco décadas de atuação na cena musical brasileira. O show ficará em cartaz no Rio até 18 de janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!