quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Obra de Leonardo da Vinci que foi escondida dos nazistas gera dúvidas sobre se seria um autorretrato do artista renascentista

Depois de 500 anos, quadro de Leonardo da Vinci que foi escondido dos nazistas, tem mistério desvendado e revelado ao público, mas resta uma dúvida no ar: seria ou autorretrato?

O artista renascentista italiano, Leonardo da Vinci, um dos artistas mais completos da história da humanidade, além de ser responsável por uma série de obras e trabalhos que chamam à atenção ainda hoje, volta ano noticiário com uma de suas obras recheada de lendas e segredos que já passam dos 500 nos de história. 

No decorrer da Segunda Guerra Mundial, um autorretrato que, conforme alguns afirmam, teria poderes mágicos foi guardado a sete chaves para não cair nas mãos Hitler e ter destino ignorado como inúmeras obras de arte que nunca mais foram vistos após serem confiscados pelo regime nazista.

Para que o führer não se apossasse do autorretrato e se tornasse ainda mais poderoso, uma operação secreta fez com que a obra de Da Vinci “sumisse” de Roma e recebesse uma casa nova, na cidade de Turim. Especialistas afirmam que a escolha dessa específica obra era uma resposta ao medo de Hitler adquirir ainda mais força com os poderes mágicos atribuídos ao trabalho do pintor italiano.

Desde 1998, a pintura está nesta área reservada para históricas produções artísticas do mundo inteiro. Hoje, o autorretrato de Da Vinci fica em um local onde as luzes são de fibra ótica; a temperatura é mantida nos 20ºC; a umidade na casa dos 55%; e as obras ficam dentro de caixas “anti-tudo”; além das óbvias câmeras de segurança.

Apesar da importância histórica, o quadro tem enfrentado percalços após meio milênio, com o surgimento de pontos escuros, também conhecidos como “foxing”. “Esse é um caso particularmente ruim. No canto esquerdo havia uma assinatura do pintor que hoje já está desaparecida”, conta Saccani. “Como o dano é grande e o papel é frágil, restauração está fora dos planos. A decisão tomada foi manter o status quo”, conclui o curador.

Dúvidas sobre se seria mesmo um autorretrato

Mesmo com toda a expectativa em torno do quadro, paira um dúvida entre os estudiosos da obra de Da Vinci: seria esse quadro é realmente um autorretrato? Nesse ponto especifico, não há consenso entre eles. Uma vertente credita que a imagem representaria um Leonardo de 1490, com uma obra datada de 1515. “Ele não acreditava muito na ideia de que a arte deveria ser o retrato do artista. Da Vinci queria que a arte representasse um ideal”, conta o historiador James Hall.

Um outro grupo já pensa diferente, como a historiadora Liz Rideal, autora de dois livros sobre a National Portrait Gallery in London, que diz: “Eu estou bem feliz em pensar que esse é um autorretrato dele. Da Vinci é um tipo de super-homem , um gênio... E nós gostaríamos de saber como ele era enquanto vivo”.

E Giovanni Saccani não tem dúvidas: “É um autorretrato. Quem ficar na sua frente vai se sentir bobo. A primeira coisa que me dizem quando olham à tela é ‘está me dando arrepios’. A expressão das pessoas é algo que só Leonardo poderia fazer”.
Nas próximas semanas, 50 pessoas por hora poderão ter acesso ao quadro.

Vida e obra de Da Vinci

Leonardo da Vinci, artista renascentista italiano, nasceu em 15/04/1452. Existem algumas dúvidas sobre a cidade de seu nascimento: para alguns historiadores, seu berço foi em Anchiano, enquanto para outros, foi numa cidade, situada na margem direita do rio Arno, perto dos montes Albanos, entre as cidades italianas de Florença e Pisa.

Foi um dos mais importantes pintores do Renascimento Cultural. É considerado um gênio, pois se mostrou um excelente anatomista, engenheiro, matemático músico, naturalista,arquiteto, inventor e escultor. Seus trabalhos e projetos científicos quase sempre ficaram escondidos em livros de anotações (muitos escritos em códigos), e foi como artista que conseguiu o reconhecimento e o prestígio das pessoas de sua época.

Leonardo da Vinci fez estágio no estúdio de Verrochio (importante artista da época), na cidade de Florença. Viveu uma época em Milão, onde trabalhou para a corte de Ludovico Sforza. Até 1506, realizou trabalhos principalmente em Florença e tudo indica que nesta época tenha pintado sua obra mais famosa: a bela e enigmática Gioconda. Trabalho para o rei Francisco I da França, onde realizou belos trabalhos. Faleceu na França no ano de 1519.

Principais características das pinturas de Da Vinci: utilização da técnica artística da perspectiva, uso de cores próximas da realidade, figuras humanas perfeitas, temas religiosos, uso da matemática em cálculos artísticos, imagens principais centralizadas, paisagens de fundo, figuras humanas com expressões de sentimento, detalhismo artístico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!