terça-feira, 4 de novembro de 2014

Com os italianos cada vez mais de olho no Brasil, livros brasileiros foram lançados naquele país



O Brasil figura cada vez mais como um país em franco desenvolvimento cultural e as nossas atrações vão muito além do samba e do futebol. Prova disso é o interesse de nações eminentemente culturais como a Itália, demonstrarem interesse em lançar em seus idiomas originais, obras literárias de autores brasileiros
Recentemente, confirmando esse interesse, chegou à Fundação Biblioteca Nacional, para a constituição de seu acervo, um número significativo de obras de autores brasileiros publicadas na Itália, com bolsas do Programa de Apoio à Tradução e à Publicação do Autor Brasileiro no Exterior.
Entre os editores e agentes literários presentes à última Feira do Livro de Frankfurt, que prestou homenagem ao Brasil, os de nacionalidade italiana estavam entre os mais interessados em conhecer autores brasileiros.

Atualmente, a Itália é o quarto país demandador do programa (depois da Alemanha, da Espanha e da França). A seguir a relação, que permite conhecer editoras ativas na edição de obras brasileiras, e os respectivos tradutores (por ordem alfabética do sobrenome de autor):

- Caio Fernando Abreu: Triangolo delle acque (título original: Triângulo das águas), Editora Quarup, tradução de Bruno Persico.

- Manuel Antônio de Almeida: Memorie di un sergente delle milizie (título original:Memórias de um sargento de milícias), Edizioni Arcoiris, com tradução de Jessica Falconi;

- José Castello: Ribamar (título original: Ribamar), Edizioni dell´Urogallo, com tradução de Andrea Ragusa;

- Deonísio da Silva: Stefan Zweig deve morire (título original, Lotte & Zweig), Tullio Pironti Editore, tradução de Giovanni Ricciardi;

- Rubem Fonseca: Il Seminarista (título original: O Seminarista), Edizioni dell´Urogallo, com tradução de Marco Bucaioni;

- Rubem Fonseca: Madrake, la Bibbia e il bastone (título original: Mandrake, a Bíblia e a bengala), Edizioni dell´Urogallo, com tradução de Marco Bucaioni;

- Andréa del Fuego: Fratelli d´acqua (título original: Os Malaquias), Feltrinelli Editore, com tradução de Roberto Francavilla.

- Michel Laub: Diario della caduta (título original: Diário da Queda), Feltrinelli Editore, com tradução de Maria Baiocchi;

- Adriana Lisboa: Blu Corvino (título original: Azul-corvo), Editora La Nuova Frontiera, com tradução de Sara Favilla;

- Betty Mindlin: Mariti alla brace – Miti erotici dell´Amazzonia (título original:Moqueca de maridos. Mitos eróticos), Edizioni La Linea, com tradução de Angela Masotti;

- Santiago Nazarian: Masticando Umani (título original: Mastigando humanos), Editora La Linea, tradução de Angela Masotti.

- Ronaldo Wrobel: Traducendo Hannah (título original: Traduzindo Hannah), Casa Editrice Giuntina, com tradução de Vincenzo Barca.

Um comentário:

  1. Assinalo mais dois livros traduzidos por Jessica Falconi pela Editora Arcoiris:
    Lima Barreto: Nella terra di Bruzundanga (Os Bruzundangas)

    Franklin Távora: Un matrimonio fuori città (Um casamento no arrabalde)

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!