sábado, 4 de outubro de 2014

Zé Ramalho chega aos 65 anos com muita garra e lotando as casas de shows com o seu público fiel





No final dos anos 70, uma figura esquálida com cabelos rebeldes e uma voz pouco usual para cantores, surgia no cenário nacional com uma música que, na linguagem contemporânea, seria “estourada”. Estamos falando de Zé Ramalho da Paraíba, com a sua imortal “Avôhai”

Nascido no dia 03 de outubro de 1949, de umbigo cortado à faca peixeira, filho de Antônio Pádua Pordeus Ramalho (um seresteiro), e de Estelita Torres Ramalho (uma professora primária). Teve uma única irmã, Goretti, que faleceu em 1991. Seu pai afogou-se em um açude, e Zé com apenas dois anos fica órfão de pai.


Entre as músicas mais tocadas nesse intervalo de tempo, segundo o Ecad, a maior parte faz parte de seus dois primeiros trabalhos: Zé Ramalho (1978) e A Peleja do Diabo com o Dono do Céu (1979). Além de Chão de Giz, aparecem entre as mais tocadas e mais regravadas do primeiro disco as músicas Vila do Sossego e Avôhai, composição que Zé Ramalho fez em homenagem a seu avô, por quem foi criado depois que seu pai morreu afogado em um açude do sertão da Paraíba, onde Ramalho nasceu.

Já do segundo disco aparecem Frevo Mulher, música mais regravada do compositor, seguida de Garoto de Aluguel e Admirável Gado Novo, músicas que também aparecem na lista das mais tocadas. Quase quatro décadas depois, conhecido apenas por Zé Ramalho, - há muito ele deixou o “da Paraíba” de lado, - o cantor e compositor chegou aos 65 anos ontem, sexta-feira (3). Com 28 álbuns lançados em 40 anos de carreira, Chão de Giz, composição do primeiro álbum da discografia oficial Zé Ramalho (1978) é a música mais tocada do artista nos últimos quatro anos segundo levantamento divulgado pelo Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição).

Após enfrentar inúmeros percalços pessoais e profissionais, o filho de Brejo da Cruz retomou a sua carreira e, em 2010, fez uma viagem às suas influências com o álbum “Zé Ramalho canta Jackson do Pandeiro”. Seu trabalho mais recente é o álbum “Zé Ramalho canta Beatles”, lançado em agosto de 2011, com regravações da banda. É o seu quarto álbum de covers em três anos. No dia 5 de julho de 2012, lançou o novo disco"Sinais dos Tempos", somente com músicas de autoria própria. No mesmo ano, anunciou um projeto de um disco em parceria com o cantor Fagner.

Em 2013, o cantor e compositor continuou dando ênfase ao novo trabalho, porém, uma cirurgia de coração o fez parar a temporada de shows do ano. A cirurgia foi um sucesso e Zé Ramalho, depois da recuperação, em maio, voltou a lotar a agenda e a cantar pelo Brasil.

Com 39 anos de carreira, Zé Ramalho se mantém na ativa, ganhando novos seguidores a cada profecia. Salve, Zé Ramalho!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!