quinta-feira, 23 de outubro de 2014

São Paulo sedia mostra antológica de Salvador Dalí, centrada em seu período surrealista mas que destaca também a evolução de sua carreira e como desenvolveu seu estilo





Mestre do surrealismo, conhecido por retratar sonhos e fantasias e também por manter um exótico bigode extremamente fino e com as pontas levantadas para o alto, o artista catalão Salvador Dalí (1904-1989) está sendo homenageado desde domingo (19), em São Paulo, com uma mostra no Instituto Tomie Ohtake


O conjunto de peças é formado por 24 pinturas, 135 trabalhos entre desenhos e gravuras, 40 documentos, 15 fotografias e quatro filmes. O espectador terá contato com a produção de Dalí desde os anos 1920 até seus últimos trabalhos em um universo onírico, fantasioso e cheio de simbolismo e cores.O Instituto Tomie Ohtake trouxe para São Paulo a maior retrospectiva do artista espanhol Salvador Dalí. 

Com curadoria de Montse Aguer, diretora do Centro de Estudos Dalinianos da Fundação Gala-Dalí, a mostra que está em cartaz desde o último domingo (19), apresenta 218 peças do mestre surrealista, incluindo a valiosa tela em óleo sobre madeira ‘O Spectro do Sex Appeal’ (1934), além de ‘Desnudo’ (1924), que pertenceu a Federico García Lorca; ‘Homem com a cabeça cheia de nuvens’ (1936), de profunda carga simbólica, com referência explícita a René Magritte e ‘O piano surrealista’ (1937), fruto de sua colaboração com os Irmãos Marx.

Telas do período de sua formação como pintor, como ‘Retrato de meu pai e casa de Es Llaner’, de 1920, ‘Retrato de minha irmã’, de 1925, e ‘Autorretrato cubista’, de 1926, que exemplificam sua busca e metamorfose em seus trabalhos questionando a realidade. Já da fase surrealista estão expostos ‘O Sentimento de Velocidade’, (1931), ‘Monumento imperial à mulher-menina’ (1929), ‘Figura e drapeado em uma paisagem’ (1935) e ‘Paisagem pagã média’(1937).

Produção de filmes

Além de telas, o artista também produziu filmes com Luís Buñuel e Alfred Hitchcock como ‘O cão andaluz’ (1929) e ‘A idade do ouro’ (1930); e ‘Quando fala o coração’ (1945), além da animação surrealista em parceria com Walt Disney. No acervo, documentos, fotografias, manuscritos e ilustrações de ‘Dom Quixote de La Mancha’, de Miguel de Cervantes, e ‘Alice no País das Maravilhas’, de Lewis Carrol, além de expressivo material do Centro de Estudos Dalinianos. Títulos como ‘Imaculada Conceição’ (1930), de André Breton e Paul Eluard, e ‘Onan’ (1934), de Georges Hugnet. As raridades tiveram seus frontispícios assinados por Salvador Dalí e retratam as bases do surrealismo na literatura.

SERVIÇO:
Exposição Salvador Dalí
Instituto Tomie Ohtake
Av. Faria Lima 201 (Entrada pela Rua Coropés 88) – Pinheiros SP
Visitação: 19 de outubro de 2014 a 11 de janeiro de 2015- (de terça a domingo, das 11h às 20h)
Informações: (11) 2245 1900

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!