quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Leilão para (muito) poucos: relógio de bolso pode alcançar a marca de R$ 42 milhões na Sotheby’s




Em 2013, um relógio Panerai foi arrematado pela soma de 348.000 euros em um leilão promovido pela Sotheby’s, mas no próximo mês, a mesma casa leiloará um modelo Patek Philippe de 1932, considerado o relógio mais famoso do mundo 



Panerai

Os relógios Panerai vintage são, normalmente, responsáveis por leilões emocionantes, onde os colecionadores mais aficionados apostam em peças únicas e na raridade dos relógios produzidos durante a história da marca florentina.

Os relógios Panerai não foram, de fato, produzidos para venda pública antes de 1993, data em que a primeira coleção destinada ao mercado foi apresentada. Todas as peças históricas raras Panerai foram produzidas por encomenda militar entre 1936, o ano do primeiro relógio Radiomir produzido para auxiliar os comandos da Marinha Real Italiana nas missões subaquáticas, e a década de 50. Esta raridade, combinada com o intemporal e com o design ainda atualizado dos relógios é o fator determinante para o aumento contínuo do valor dos modelos Panerai, não apenas vintage, mas também muitos dos que são agora produzidos em edições limitadas e fielmente inspirados em modelos do passado.

O Luminor vendido no leilão da Sotheby’s, referência 6152/1, datado de cerca de 1955, está equipado com uma caixa de aço inoxidável, com o clássico dispositivo de proteção da coroa que também caracteriza os Luminor de hoje, com um movimento mecânico de corda manual, fundo aparafusado e com um grande mostrador preto com indexes e números nos pontos cardeais. Este modelo é único e distingue-se pelo bisel rotativo em policarbonato, transparente com pequenos pontos pretos ou marcadores luminescentes. O aro removível, um material nunca antes visto, indica que este relógio é, provavelmente, um protótipo que nunca avançou para produção.

Patek Philippe

Graves, Patek Philippe (Foto: Divulgação/ Sotheby's)

Há quem não ache normal o fato de alguém pagar R$ 42 milhões por um relógio, mas as pessoas que participarão de um leilão promovido pela famosa casa Sotheby's no próximo mês, pensam diferente.

Entre os produtos oferecidos nesse leilão, está o "Henry Graves Jr. Supercomplication", também conhecido como "Graves", um relógio de bolso da década de 1930. Ele foi fabricado pela Patek Philippe, uma das mais tradicionais marcas de relógio do mundo, e será leiloado no mesmo mês em que a empresa comemora 175 anos. A expectativa, segundo a revista Forbes, é que ele seja vendido por US$ 17 milhões (cerca de R$ 42 milhões). A página oficial da Sotheby’s se refere à peça como "o relógio mais famoso do mundo".

"Ele possui 24 funções, incluindo um mapa do céu noturno sobre de Nova York. O Supercomplication é o relógio mais complexo já feito sem a ajuda de computadores. Na verdade, o Supercomplication manteve esse título por 56 anos, até que a Patek Philippe lançou o Calibre 89 - com 33 funções - em 1989", diz a Sotheby's. O Calibre 89, no entanto, teve a ajuda de computadores para sua criação.

A rara peça foi a leilão pela primeira vez pela Sotheby's, em 1999. Naquela época, foi vendida por US$ 11 milhões e se tornou o mais caro relógio já leiloado, recorde que ainda conserva. O comprador não quis se identificar, como é comum nesses casos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!