sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Como forma de evitar polêmicas como a do ano passado, o Prêmio Jabuti 2014 teve o resultado validado por auditoria externa



Foi anunciada ontem, 16.10, a relação de vencedores da 56ª edição do Prêmio Jabuti, uma das principais láureas da literatura brasileira, onde haviam sido listadas dez obras finalistas para cada uma das 27 categorias. A cerimônia de premiação será no dia 18 de novembro próximo, no Auditório do Ibirapuera SP

Dando mostras da lisura do processo de escolha dos ganhadores, o resultado foi validado pelo Conselho Curador do prêmio e pela Auditoria Parker & Randall. O júri com especialistas de cada categoria será revelado na entrega do prêmio, quando serão anunciados os Livros do Ano de Ficção e Não Ficção. A escritora e professora Marisa Lajolo assumiu a curadoria e o Conselho Curador, desde 2012, tem Antonio Carlos de Moraes Sartini, Frederico Barbosa, Luis Carlos de Menezes e Márcia Lígia Guidin.

Destaques
Bernardo Carvalho e Rubem Fonseca

A biografia Getúlio - Do governo provisório à ditadura do Estado Novo, de Lira Neto, o livro de contos Amálgama, de Rubem Fonseca, e o romance Reprodução, de Bernardo Carvalho, ganharam o Prêmio Jabuti nas categorias correspondentes. A apuração aconteceu na tarde desta quinta-feira (16/10), em São Paulo, quando foram escolhidos os vencedores das 27 categorias do 56º Prêmio Jabuti, concedido pela Câmara Brasileira do Livro.

Na categoria Romance, Michel Laub ficou em segundo lugar com A maçã envenenada e Verônica Stigger em terceiro, com Opisanie Swiata. O segundo lugar da categoria Biografia foi para Wilson Baptista - o samba foi sua glória!, de Rodrigo Alzuguir, e o terceiro para Mary del Priore, com O castelo de papel. Na categoria Reportagem, Laurentino Gomes levou o primeiro lugar com 1889 e Daniela Arbex o segundo, com Holocausto brasileiro. Em terceiro ficou Um gosto amargo de bala, de Vera Gertel.

Além de Amálgama, livro de contos lançado por Rubem Fonseca no ano passado, ganharam também Luiz Vilela, com Você verá em segundo lugar, e Nu, de botas, de Antonio Prata, e Um solitário à espreita, de Milton Hatoum, empatados em terceiro lugar. O primeiro lugar de cada categoria receberá R$ 3,5 mil e em 18 de novembro, a CBL anunciará os escolhidos como Livro do Ano em ficção e não ficção. Para esses, o prêmio é de R$ 35 mil.

Para evitar a polêmica da última edição do prêmio - quando jurados foram acusados de manipular os resultados ao dar nota zero a alguns autores -, este ano a nota mínima no Jabuti foi oito.

Referência: CB

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!