terça-feira, 23 de setembro de 2014

A reforma da pirâmide do Museu do Louvre já foi iniciada e a previsão é que esteja aberta novamente à visitação até o final de 2016 ou início de 2017





A pirâmide do Louvre, uma estrutura de vidro e metal, medindo 20,6 m de altura sobre uma base quadrada de 35 metros cada lado, sempre foi uma das maiores atrações do museu e sua fama foi multiplicada quando Dan Brown ambientou no monumento, o clímax do seu livro o Código Da Vinci 


A pirâmide do Louvre é um projeto do arquiteto sino-americano Ming Pei. Inaugurada em 1988, está situada na praça central do museu, a Cour Napoléon, e funciona como entrada principal.Um mito diz que o número de placas de vidro da pirâmide é exatamente 666, número associado a satã, ou “a besta do Apocalipse” e esse mito foi confirmado na obra de Dan Brow, que foi levado ao cinema tendo Tom Hanks como protagonista. Na realidade, de acordo com informações oficiais do museu, a pirâmide possui 673 placas.

Reforma até 2017

A famosa pirâmide do museu do Louvre, está no centro de uma grande obra de reestruturação até o final de 2016 ou início de 2017. O espaço foi criado para receber 4,5 milhões de pessoas por ano, mas atualmente, recebe mais de nove milhões de visitantes - e quase 70% deles estão no lugar pela primeira vez.

"O visitante é nossa prioridade. É justo que haja um lugar que o atenda, no centro do museu. Então, é imperativo intervir", explicou o diretor do Louvre, Jean-Luc Martinez. O projeto "Pirâmide" foi confiado ao estúdio de arquitetura Search e foi aprovado pelo próprio Pei - que aos 97 anos não pode viajar a Paris. Martinez acrescenta que tem "trabalhado com ele, em respeito ao seu trabalho, e para nós tem sido uma grande sorte".

O museu investirá 53,5 milhões de euros (R$ 162,4 milhões) na obra, financiados em grande parte com os ingressos vinculados ao projeto "Louvre Abu Dhabi", e 10% do valor foi dado por diversas pessoas.

Nos quase três anos, durante o qual o museu permanecerá aberto, serão repensados todos os espaços dedicados ao público. "O objetivo é fazer o possível para que o visitante encontre mais conforto e que o pessoal do museu trabalhe em condições ótimas", ressaltou o diretor.

Para diminuir o tempo de espera nas filas para ingressos, foi criado um novo acesso aos visitantes por baixo da Cour Richelieu. Uma nova bilheteria abrirá no local da atual livraria e serão realizadas novas formas de informação, com a revisão dos sinais de orientação e a reorganização dos armários e dos serviços.

Construção controversa

A construção deste edifício provocou um grande debate. O argumento da turma do contra era que esta forma futurista, com um estilo internacional, estava fora do contexto clássico do museu. A turma a favor considerava que o choque entre o contemporâneo e o clássico era interessante.

A grande pirâmide é uma estrutura de vidro e metal, medindo 20,6 m de altura sobre uma base quadrada de 35 metros cada lado. Ela possui 603 losangos e 70 triângulos de vidro.

Quem já viu o monumento mais de uma vez, garante que é como se estivesse vendo-a pela primeira vez. Uma construção perfeita, maravilhosa do exterior ou do interior.

Um detalhe divertido e perigoso é a tarefa de limpar os painéis de vidro. Uma história complicada, onde alpinistas se encarregam desta tarefa altamente escorregadia e que exige perícia e coragem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!