domingo, 13 de julho de 2014

Dois mistérios: separados por 2 mil quilômetros, os gêmeos de Cândido Godói RS e os anões de Itabaianinha SE, desafiam os estudiosos










Dois "mistérios" brasileiros: os gêmeos de Cândido Godói, município de sete mil habitantes localizado no noroeste do Rio Grande do Sul que ganhou até explicação científica fundamentada em pesquisa e Itabaianinha, município do interior sergipano que possui a maior incidência casos de nanismo no mundo
Há pouco mais de um ano foram divulgados os resultados de uma pesquisa cujos primeiros passos foram dados há 17 anos, a respeito da incidência de gêmeos em Cândido Godói. Nem o médico nazista Josef Mengele nem a suposta "água da fertilidade" existente no município nem a mão de Deus teriam participação importante no fenômeno. 
Contrastando com as explicações populares, o responsável seria um gene presente nas mulheres da região, descoberta que pode ajudar gestantes do mundo inteiro.Dois "mistérios" brasileiros: os gêmeos de Cândido Godói, município de sete mil habitantes localizado no noroeste do Rio Grande do Sul que ganhou até explicação científica fundamentada em pesquisa e Itabaianinha, município do interior sergipano que possui mais casos de nanismo no mundo

Descoberta mundial

Se o mistério continua na boca do povo de Cândido Godói e as teorias se multipliquem, no campo da ciência, as pesquisadoras festejam a descoberta que pode colaborar com estudos em diferentes partes do mundo. A pesquisa realizada no município é uma das primeiras que relacionam tal gene à fertilidade e à gestação de gêmeos.

"Talvez a população de Cândido Godoi possa ser muito importante para outras pessoas que queiram ter filhos, mas não conseguem", destacou Lavínia. Além de publicar o resultado desta etapa da pesquisa em revistas científicas internacionais, os pesquisadores devem continuar analisando o gene e outros fatores que contribuam para a incidência de gêmeos, como a própria qualidade da água – a pesquisa indicou que as mães de gêmeos bebiam mais água direto da fonte.

A pesquisa também vai aprofundar os estudos sobre a colonização dos alemães na região, buscando identificar a origem do gene "fundador". Para a população local, as lendas e histórias que passam de geração em geração continuarão vivas. E a pequena cidade manterá a “benção” de figurar no mapa mundial.
Os anões de Itabaianinha SE
Em Itabaianinha, cidade do interior de Sergipe, a 100 quilômetros de Aracaju, a chance de nascerem pessoas de pequena estatura é cem vezes maior do que a média brasileira. Com cerca de 30 mil habitantes, ela é conhecida em todo o mundo como a cidade dos anões. Algumas condições colaboraram para a existência deles na região. Todos têm suas raízes na vila de Carretéis, que fica a 30 minutos do centro da cidade.

É comum em certos pontos do Nordeste brasileiro a ocorrência de casamentos entre parentes. Atualmente, 80% das famílias de Carretéis abandonaram a área rural para viver na zona urbana de Itabaianinha. Mas em outros tempos, o povoado era totalmente isolado geograficamente e isso contribuiu para o grande número de uniões consanguíneas.

Como são muitos em Itabaianinha, eles estão por toda parte. Tem anão dono de lanchonete, funcionário de banco, professor primário, estudante, artesão, sertanejo. Tem anão dirigindo taxi e eles desenvolveram habilidades extras para se adaptarem aos carros construídos para pessoas com estatura dentro dos parâmetros tidos como normais. 

É exatamente essa capacidade de adaptar-se a situações adversas, de buscar a perfeita convivência com visitantes e locais que fazem dos anões de Itabaiana pessoas absolutamente ímpares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!