quarta-feira, 23 de julho de 2014

Ainda participando de festivas, trompetista de jazz Lionel Ferbos morre aos 103 anos


Mesmo quem conhece muito pouco de jazz, certamente já ouviu falar de Lionel Ferbos, uma lenda na sua especialidade. O trompetista de Nova Orleans morreu em casa, no último sábado aos 103 anos

Ferbos atuou durante décadas na sua cidade e arredores, e só recentemente deixara de tocar, porque já não tinha força nos braços para segurar o instrumento.

O músico tinha comemorado na quinta-feira o seu 103.º aniversário, e pela primeira vez já não conseguira tocar para os seus amigos e familiares. Até ao ano passado, continuara a participar em todas as edições do New Orleans Jazz and Heritage Festival, sendo considerado o mais velho músico de jazz em atividade.

Ao longo da sua extensa carreira, Ferbos colaborou com alguns dos nomes míticos do jazz tradicional, como o saxofonista Captain John Handy ou a cantora Mammie Smith. Muito requisitado pela sua capacidade de ler e escrever música, competência pouco habitual nos instrumentistas de jazz da Nova Orleans da sua juventude, Lionel Ferbos começou a tocar profissionalmente no início dos anos 1930, em grupos como os Starlight Serenaders ou os Moonlight Serenaders, que atuavam nos clubes de jazz locais.

Em 1932, juntou-se aos Louisiana Shakers de Captain John Handy e fez algumas digressões, mas viveu sempre em Nova Orleans, que nunca quis abandonar. No entanto, teve mesmo de deixar a cidade, por algum tempo, na sequência do furacão Katrina, em 2005. Foi acolhido por familiares na Louisiana, mas assim que teve condições para fazê-lo, regressou à sua cidade natal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!