domingo, 8 de junho de 2014

Araxá é uma opção para os próximos feriados, mas alguns estabelecimentos estão praticando preços “padrão FIFA”

Entre os belos cenários da cidade mineira de Araxá, é possível acompanhar o processo de produção do artesanato feito no antigo tear de madeira, uma prosaica tosquia das ovelhas em fazendas da região e o contato com os produtos que levam segredos passados de mãe para filha, há séculos

Um cenário de rara beleza deslumbra visitantes que se dirigem a bela cidade do interior mineiro, tornando-a um dos mais aprazíveis destinos turísticos nos feriados que se avizinham, notadamente pela tranquilidade e a distância do agito dos grandes centros. O que não difere muito dos maiores destinos de luxo é o preço cobrado por alguns hotéis da cidade que, ao que parece, adotaram o “Padrão FIFA”, pelo menos no tocante a preços.

Para o próximo feriadão de Corpus Christi, de 19 a 22 de junho, em resort da cidade, o pacote para um casal, sem filhos, em apartamento categoria standard, custa R$ 2.784, no sistema all inclusive. Para que teçamos um comparativo, os melhores resorts do Litoral Norte da Bahia, há poucos quilômetros de Salvador, cobra preços 40% menores e ainda dão gratuidade para duas crianças até 11 anos. Vale ressaltar ainda, que os resorts baianos têm um diferencial importantíssimo: são todos à beira mar, com sol e praia quase que o ano inteiro.

Para que se atraia o turista, não basta apenas bons serviços, estrutura física ou uma localização privilegiada pois, com a quantidade de hotéis e resorts multiplicando-se nos últimos anos, as opções são inúmeras e as mais variadas. Para que o visitante decida-se por determinado ponto turístico é necessário também que os hotéis e os demais integrantes do trade turístico pratiquem preços justos e compatíveis com o produto ou serviço oferecido.

Se o intuito é a alavancagem do turismo interno que gere um círculo virtuoso onde quem visita fica satisfeito e indica para outras pessoas, é preciso muito mais que uma boa estrutura. De nada adianta anunciar um resort de luxo, com opções de lazer, boa gastronomia e serviços diferenciados se, quando o cliente ligar pedindo informações sobre reservas, por exemplo, o atendente disser que o responsável viajou e só ele trata desse assunto. Atitudes amadorísticas como essa jogam por terra todo um esforço de fidelização que o estabelecimento esteja tentando fazer. Se uma falha desse tipo faz-se acompanhar de preços abusivos, então, é um “tiro no pé” do empresário e não agrega nenhum valor para o segmento turístico.

Euriques Carneiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!