terça-feira, 10 de junho de 2014

A exemplo do que fez com as adolescentes do Pussy Riot, Vladimir Putin encarcera Oleg Sentsov



Conforme noticiado pelo jornal inglês "The Guardian", os laureados cineastas europeus Pedro Almodóvar, Wim Wenders, Ken Loach, Mike Leigh, Stephen Daldry e Béla Tarr assinaram uma carta enviada a autoridades russas, incluindo o presidente Vladimir Putin, na qual pedem a libertação do diretor ucraniano Oleg Sentsov

Ainda segundo o "Guardian", o advogado de Sentsov, o mesmo que trabalhou anteriormente na defesa do grupo punk russo Pussy Riot, afirma que o diretor nega qualquer envolvimento. A diretora do fundo alemão que patrocina os filmes de Sentsov, Kristen Niehuus, conta que ele apenas protesta contra a anexação da Crimeia pela Rússia.


De acordo com a publicação, Sentsov foi preso em maio quando estava em casa, na região da Crimeia, que foi anexada pela Rússia após uma revolta promovida por separatistas pró-Moscou. A população local aprovou a independência da região, uma península autônoma, em um referendo, que foi seguido pela anexação à Federação Russa.

O cineasta, que tem um único filme no currículo, "Gaamer" (2011), é acusado de tentar organizar ataques terroristas. O serviço secreto russo alega que ele admitiu planejar ações em pontes ferroviárias, no serviço de distribuição de energia e em monumentos públicos.

No documento, os cineastas pedem que as autoridades russas garantam "a segurança de Oleg Sentsov". Solicitam ainda que seja divulgado o local em que ele está detido, apresentada uma acusação formal e "uma investigação completa, imediata e imparcial quanto à detenção aparentemente arbitrária".

O "Guardian" acrescenta que, na carta, os diretores se mostram "profundamente preocupados" quanto ao estado atual e ao futuro de Sentsov. Os produtores Mike Downey e Rebecca O'Brien também assinam o documento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!