quinta-feira, 8 de maio de 2014

Arquiteto canadense naturalizado americano Frank Gehry, vence prêmio Príncipe das Astúrias das Artes



O júri decidiu conceder o prêmio a Gehry "pela relevância e a repercussão de suas criações em vários países, com as quais definiu e impulsionou a arquitetura no último meio século", explica um comunicado

Gehry, que em 1989 recebeu o Prêmio Pritzker de Arquitetura, o principal da categoria no mundo, é considerado um dos mais destacados representantes da corrente desconstrutivista dos EUA.O arquiteto Frank Gehry, dos Estados Unidos, autor entre outros ícones do Museu Guggenheim de Bilbao (norte da Espanha), foi premiado nesta quarta-feira com o Prêmio Príncipe das Astúrias das Artes, ao qual concorriam 36 candidaturas de 19 países, segundo fontes da Fundação que concede os prêmios.

A corrente se caracteriza pela fragmentação e pela ruptura de um processo de desenho linear, que tem como resultado edifícios de visual impactante, como o próprio Guggenheim de Bilbao (1997) e o edifício Nationale-Nederlanden, conhecido como Casa Dançante, de Praga (1996).

Entre suas obras se destacam também sua própria casa em Los Angeles, o Cabrillo Marine Aquarium, a Faculdade de Direito de Loyola (Califórnia), o Museu da Universidade de Minnesota (1990-1993), o Centro Americano em Paris (1994) ou o Auditório Walt Disney (Los Angeles, (2003).

Gehry, que nasceu em 1929 em Toronto (Canadá), mas se naturalizou americano após ir em 1947 para Los Angeles com seus pais, começou a se destacar por seus edifícios de formas esculturais na década de 70, época na qual também começou a desenvolver sua faceta como designer de móveis.

Com 33 anos e depois de passar um período em Paris, Gehry fundou o próprio estúdio em Los Angeles. Já recebeu vários prêmios, como o prestigioso Pritzker em 1989.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!