quinta-feira, 10 de abril de 2014

'Dia do Graffiti' levou arte de rua, música e poesia ao bairro do Bixiga SP



Oitava edição do evento apresentou Bixiga 70, Mc Sombra, Vai-Vai, Zebrabeat, Nomade Orquestra, Coletivo Stencil Brasil, Sarau Suburbano e Capoeiras da Bela Vista

As atividades começaram ao meio-dia, com a pintura coletiva do tradicional mural da rua Santo Antônio, que teve a curadoria de Celso Gitahy. Na sequência, apresentaram-se Capoeiras da Bela Vista, a escola de samba Vai-Vai, o Sarau Suburbano Convicto, o grupo Novolhar Break, MC Sombra, a orquestra paraense Zebrabeat e a big band de afrobeat Bixiga 70. 
A festa terminou no espaço multicultural Mundo Pensante, na rua 13 de Maio, com show da Nomade Orquestra, um grupo de música instrumental que mistura jazz, funk, rock, hip hop, dub, afro beat e eletrônico.
São Paulo – A oitava edição do "Dia do Graffiti" no bairro paulistano da Bela Vista, o "Bixiga", que foi realizada no dia 30 de março, contou com a participação de grandes nomes do grafite paulistano, como Prozak, Simone Siss, Cesar Profeta, Titi Camelós, 9Polar e Celso Gitahy. Anarkia Boladona, considerada a dama do grafite carioca, participou como convidada especial. O evento fez parte das ações do Ocupaí Bixiga, um movimento que pretende firmar o bairro como “polo de efervescência cultural e cidadã”.

Celebrado no dia 27 de março, o Dia Nacional do Graffiti é uma homenagem ao etíope radicalizado brasileiro Alex Vallauri, morto nesta data, em 1987. Com suas botas, luvas, seus jacarés e telefones, ele deu cor aos muros de São Paulo nas décadas de 1970 e 1980, sendo considerado, com isso, um dos pioneiros do grafite e da arte de rua no país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!