Construção - Reforma - Manutenção

Construção - Reforma - Manutenção
Clientes encantados é a nossa meta!

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Aos 75 anos, Jair Rodrigues lança CD com 26 músicas inéditas em sua voz



Em ‘Samba mesmo’, há hits de Roberto Carlos, Dominguinhos e Tom Jobim e o CD duplo "Samba Mesmo" - já está disponível no iTunes e chegam às lojas nos próximos dias. Uma homenagem do artista à música brasileira de raiz, à seresta, ao samba, aos clássicos, aos ídolos. Mais um lançamento da área de entretenimento da S de Samba, produzido por Jair Oliveira

Não, nem todas são samba mesmo. Mas todas são inéditas na voz do artista. Das 26 músicas do disco, editado pela Som Livre em dois volumes vendidos de forma avulsa, há hits de Roberto Carlos (‘Como é grande o meu amor por você’, 1967) e Dominguinhos (1941 - 2013) (‘De volta pro aconchego’, de 1985) que são revividos por Jair no volume 2 em cadência que remete ao samba-canção, gênero recorrente nos dois discos gravados em 2013.

À primeira vista, o título do disco duplo ora lançado por Jair Rodrigues, ‘Samba mesmo’, parece ser recado para pagodeiros que nunca acertaram a cadência bonita do samba. Mas não é. O título surgiu pelo fato de, no estúdio, o cantor paulista sempre repetir a frase ‘Essa é samba mesmo’ quando o produtor do projeto, Jair Oliveira (filho do artista), lhe sugeria gravar uma música.

Aos 75 anos, completados em fevereiro, o cantor paulista pinta sua ‘aquarela do Brasil’ sem os tons esfuziantes dos tempos áureos. Mesmo que o disco geralmente apresente regravações feitas nos limites da correção, sem dar colorido adicional aos temas, há bons momentos. A intepretação ‘a capella’ de ‘Eu não existo sem você’ (Antônio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes, 1958), feita em homenagem ao cantor paulista Agostinho dos Santos (1932 - 1973), é um deles.

‘Samba mesmo’ apresenta três inéditas em repertório que, mesmo novo na voz de Jair, é velho, reabrindo a cortina do passado com arranjos de Swami Jr. e Paulo Dáfilin. Há inéditas de Martinho da Vila (‘Todos os sentidos’) e Roque Ferreira (‘Se você deixar’). ‘Força da natureza’, samba feito por Jair em 1974 com Carlos Odilon e Orlando Marques, completa o trio de inéditas do disco, gravado de olho no retrovisor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!