Construção - Reforma - Manutenção

Construção - Reforma - Manutenção
Clientes encantados é a nossa meta!

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Fausto Nilo navega tanto nas águas da música quanto nas linhas da arquitetura



Sem perder a verve de compositor, Fausto Nilo mantém sua atividade como arquiteto até os dias de hoje, com especial interesse por assuntos referentes a cidades, planos diretores de urbanismo, espaços de uso público, praças, escolas e equipamentos culturais, onde se destaca seu principal projeto: o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em Fortaleza

Nesta quinta-feira (20), o Momento Três da Rádio Nacional FM Brasília destaca o trabalho de Fausto Nilo. Considerado um dos maiores letristas brasileiros, Nilo não escapa de alguns críticos que afirmam que ele não obedece as leis da gramática e da sintaxe. E quem se importa? Muito menos o próprio Fausto Nilo que diz que a inspiração é intuitiva e que se fossemos basear tudo na gramática, boa parte dos brasileiros nem se comunicaria. 

São mais de 30 anos de carreira e ele continua inovando. Nos últimos anos, apaixonado pelo imediatismo da internet, compõe em parceria com nomes como Zeca Baleiro, via e-mail. Fique aí com um trecho de "chorando e Cantando" com Geraldo Azevedo.

O poeta, letrista e arquiteto Fausto Nilo, é conterrâneo de Antônio Vicente Mendes Maciel, o Antônio Conselheiro e conhece música desde pequeno já que participava, ao lado dos sete irmãos, de reuniões promovidas por seu avô, seu Fausto, amigo do cego Aderaldo e de outros repentistas. 

Já em Fortaleza, ingressou na Faculdade de Arquitetura onde fez amizade com o cantor e compositor Fagner, primeiro a musicar um de seus poemas, e outros jovens compositores, como Rodger Rogério, Teti, Petrúcio Maia e Ricardo Bezerra, que passariam a ser conhecidos como "o pessoal do Ceará".

Em 71, por problemas políticos, mudou-se para Brasília, onde passou a trabalhar como professor e a escrever suas primeiras letras para músicas de amigos. A primeira foi "Fim do Mundo" (com Fagner), gravada por Marília Medalha em 72. Em 77, já no Rio de Janeiro, formou parceria com Moraes Moreira, formando uma parceria inspirada que rendeu sucessos na voz do parceiro ("Alto-Falante", "Meninas do Brasil", "Coisa Acesa", 'Bateu no Paladar", "Santa Fé" - tema de abertura da novela "Roque Santeiro").

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!