Construção - Reforma - Manutenção

Construção - Reforma - Manutenção
Clientes encantados é a nossa meta!

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Canadá: caloroso e acolhedor mesmo com 21 graus negativos



O Canadá é um país com duas línguas oficiais: o inglês, falado na maior parte do seu imenso território, e o francês, mais presente na província de Québec. Ocupando a 11ª posição no IDH, trata-se de um destino bastante procurado para intercâmbio e por turistas de um modo geral

Tanto em Montreal, a maior cidade da província, quanto em Québec, a capital, toda a sinalização pública é bilíngue. Mas, ao contrário do que acontece na maior parte do Canadá, em que os termos anglófonos têm mais destaque do que os francófonos, na província de Québec é o francês que vem primeiro.

É fácil chegar

Quebec City ou Ville de Québec – em inglês ou francês, – fica no sudeste da província e a cerca de 200 quilômetros a nordeste de Montreal. A cidade tem aproximadamente 508 mil habitantes, chegando a 690 mil na região metropolitana.

De Montreal até Québec, pode-se ir de trem, ônibus ou carro. De carro, o melhor caminho é pela autoestrada 20, passando, em seguida, pela 40, até chegar a Québec. A estrada, como tudo no Canadá, é perfeita.

Cidade entre muros

Ao chegar a Québec, todos os caminhos levam ao Centro Histórico, a Velha Québec, onde é obrigatório estacionar o carro do lado de fora da cidade antiga. Sim, “de fora”. Isso porque Québec é a única cidade, entre o Canadá e os Estados Unidos, a se manter cercada por muros, como na época da colonização.

Ao cruzar o muro, o visitante se sente como se tivesse entrado no túnel do tempo e saído em pleno século 18, época em que as muralhas da Cidadela foram erguidas. A arquitetura charmosa e elegante confere um ar aristocrático a Québec. É quase inusitado estar em um ambiente tão francês, sendo que Paris está a algumas horas de voo dali.

Ruazinhas estreitas e o incrível Hotel de Gelo

Duas características marcantes que notamos quando visitamos Québec é o charme das ruazinhas antigas, estreitas, como nas velhas cidades medievais europeias, e a quantidade de áreas verdes.

A cidade de Québec tem mais de 400 parques e jardins. Um dos mais importantes é o Parc des Champs-de-Bataille, também chamado de Planície de Abraham, que fica próxima ao centro histórico da cidade. É um local onde, segundo os historiadores, importantes batalhas aconteceram nos séculos 18 e 19. Outro marco da paisagem da cidade são as Cataratas de Montmorency, com seus 85 metros de altura.

É no Morro do Parlamento que está a Assembleia de Québec, em um bonito edifício. A cidade possui muitas igrejas, basílicas e catedrais, muitas delas localizadas no centro histórico da cidade. As mais imponentes delas são a Catedral Notre-Dame de Québec (Nossa Senhora de Quebec), a principal igreja da província e do país; o Convento Ursuline, fundada em 1639; e a Catedral Anglicana da Santíssima Trindade, a primeira catedral anglicana fora da Inglaterra, tendo sido fundada em 1804.Normalmente no Canadá as gorjetas e os cargos de serviço não se acrescentam as faturas. Costuma-se deixar 15% do total da fatura, costume que também é aplicado a taxistas. Em hotéis, aeroportos e estações ferroviárias, os empregados e porteiros geralmente recebem um dólar por cada peça da bagagem.Curiosidades

Cultura

A literatura do Canadá é o espelho do dualismo lingüístico do país. As literaturas anglo-canadense e franco-canadense são subdivididas em vozes regionais, que refletem os interesses de suas próprias comunidades. Embora de curta tradição, a "Canlit" (literatura canadense) é cada vez mais lida, traduzida e aclamada no mundo inteiro.

Os novelistas, ensaístas e poetas canadenses, como Robertson Davies, Margaret Atwood, Gabrielle Roy, Jacques Ferron, Alice Munro, Anne Hébert, Jacques Godbout, Northrop Frye, Hubert Aquin, Gaston Miron, Michael Ondaatje e Mordecai Richler refletiram os pensamentos e sentimentos mais profundos dos canadenses.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!