segunda-feira, 2 de setembro de 2013

16ª Bienal do Livro foi aberta na última quinta-feira no Rio de Janeiro



Homenageando a Alemanha, 16ª edição da Bienal do Livro começou no dia 29 de agosto e organizadores esperam público recorde de 600 mil visitantes


A Alemanha será a homenageada da Bienal do Livro que abriu as portas no Riocentro, zona oeste do Rio de Janeiro, a partir das 13h desta quinta-feira (29), para comemorar seus 30 anos em sua 16ª edição. A expectativa da organização é atrair cerca de 600 mil visitantes nos 11 dias de feira.

Mesmo com o advento dos e-books, a Bienal não esquece quem prefere folhear e saborear seu livro em papel entre os mais de 950 expositores em 55 mil metros quadrados de área. Com um investimento de R$ 32 milhões, a organização pretende bater o recorde de mais de mil títulos lançados em 2011 e mais de 3 milhões de exemplares vendidos.

O espetáculo Histórias ao Vento é o destaque do espaço que homenageia o criador do Menino Maluquinho.

O espetáculo ‘Ziraldo - Histórias ao Vento’ é formado pelas adaptações de dois textos consagrados do autor: Flicts e O Bichinho da maçã. As histórias são apresentadas por um personagem importante da literatura do autor mineiro: O Menino Maluquinho. O roteiro mescla trechos dos livros entremeados por canções originais compostas especialmente para o espetáculo. A música é tocada e cantada ao vivo.

Com sucesso garantido na venda antecipada de ingressos, a Bienal vai ter a presença de grandes nomes da literatura internacional, como o moçambicano Mia Couto, vencedor do Prêmio Camões, o americano Nicholas Sparks (Diário de uma Paixão) e James C. Hunter, sucesso no mundo corporativo com o O Monge e o Executivo, com 3 milhões de exemplares vendidos apenas no Brasil, além do argentino Cesar Aira. Ao todo serão 27 autores internacionais na programação oficial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!