domingo, 7 de julho de 2013

Capibaribe enquanto patrimônio cultural do Recife



Tido como o rio mais importante do estado de Pernambuco, o Capibaribe, nasce na serra do Jacarará, no município do Brejo da Madre de Deus, na divisa de Pernambuco com a Paraíba

O curso do Capibaribe tem cerca de 250 quilômetros e sua bacia, aproximadamente, 5.880 quilômetros quadrados.Possui cerca de 74 afluentes e banha 42 municípios pernambucanos, sendo os principais: Toritama, Santa Cruz do Capibaribe, Salgadinho, Limoeiro, Paudalho, São Lourenço da Mata e o Recife.

Navegável no verão até dois quilômetros acima de sua foz por canoas e botes, no inverno torna-se tão caudaloso que às vezes provoca enchentes e estragos nas áreas ribeirinhas dos município do interior.

O Capibaribe tem grande importância histórica e social na formação e no desenvolvimento de Pernambuco e da região Nordeste do Brasil. Foi denominado de rio-ponte por ter sido, na época colonial, um significativo elo entre a cultura da cana-de-açúcar da zona da Mata pernambucana e os currais do Agreste e do Sertão.


Tamanha magnitude de um rio que está presente na arte e na culturas pernambucanas (forte e marcante participação em Morte e Vida Severina, de João Cabral de Melo Neto), passou a figurar como uma entidade, a ponto de ter uma legião de fãs e admiradores e dois integrantes deste grupo vão lançar em novembro próximo Eu Capibaribe: o rio que termina onde a cidade começa. A dupla formada pela designer Gisela Abad e pelo arquiteto Márcio Erlich criou até um neologismo: Eu capibaribo, tu capibaribas, ele capibariba... a partir do nome do rio.

Eu Capibaribe: o rio que termina onde a cidade começa, da editora Caleidoscópio, reúne o trabalho de quatro fotógrafos e três escritores. Eduardo Queiroga, Alexandre Severo, Maíra Erlich e outro nome que ainda será definido são responsáveis por registrar em imagens a nascente, foz e os caminhos percorridos pelo rio Capibaribe.

Já o desafio de criar os textos que abordam o comportamento atual do Capibaribe estão sendo criados por Anco Márcio Tenório, Antônio Carlos de Barros Corrêa e Julien Ineichen Chitunda.

Eu Capibaribe: o rio que termina onde a cidade começa ainda está em fase de produção, mas já foi colocado para pré-venda através do site de vendas de ingressos Eventick. O motivo: o financiamento do projeto é feito pelos próprios compradores. 

Ou melhor, capibaribeiros, nas palavras de Gisela. “Cada capibaribeiro não está pagando apenas pelo livro, mas também começa a fazer parte do ato de capibaribar. O nome de cada um que participar vai aparecer no livro, em uma página, como se fizesse parte da água fluindo.”

O manuscrito pode ainda não ter sido concluído, mas já tem data para ser lançado: 24 de novembro, Dia do Rio Capibaribe. Por R$65, o capibaribeiro receberá, em novembro deste ano, Eu Capibaribe: o rio que termina onde a cidade começa em sua casa.


Referência: jconline

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!