sábado, 20 de julho de 2013

Antonio Nobrega: quatro décadas de dedicação à cultura brasileira



Produzindo seus próprios espetáculos, misturando dança, artes cênicas e música , participando na década de festivais de teatro o pesquisador de dança e música brasileira Antonio Nobrega é um dos maiores nomes da cultura nordestina

Pesquisador de dança e música brasileira, radicou-se em São Paulo em 1983 e ajudou a implantar o Departamento de Artes Corporais da Unicamp. Depois de ganhar prêmios no exterior, seu trabalho começou a ter repercussão no Brasil na década de 90 com os espetáculos "Figural", "Brincante" e "Segundas Histórias", os dois últimos estrelados por seu personagem Tonheta, uma mistura de clown e vagabundo que cativa o público.

Natural de Recife, Nobrega estudou violino clássico e canto lírico com professores renomados, chegando a tocar em orquestra. Nos anos 70 participou do Quinteto Armorial, - a convite de ninguém menos que Ariano Suassuna, - com o qual gravou quatro discos e excursionou pelo mundo divulgando a música tradicional nordestina. A partir de 1976 começa a conceber seus próprios espetáculos, misturando dança, artes cênicas e música, participando na década de 80 de festivais de teatro.

No final da década passou a se dedicar mais à pesquisa musical, e lançou em CD os shows "Na Pancada do Ganzá" (baseado na viagem etnográfico-musical de Mário de Andrade pelo Brasil) e "Madeira que Cupim Não Rói". Mantém em São Paulo a Escola e Teatro Brincante, um centro cultural que promove eventos e cursos ligados à dança, música e arte circense.



Destacando-se em tantas áreas, Antonio Nóbrega foi o homenageado da 14ª edição do programa Ocupação. A exposição, que foi organizada em maio passado, apresentou ao público os processos criativos do artista e um pouco da história dos caminhos percorridos por ele, que, em 2012, comemorou 40 anos de carreira. Exaltando o lúdico, a mostra convidou o visitante a um passeio por um túnel da memória, que resgata fotos, figurinos e máscaras, elementos reveladores de momentos importantes da trajetória de Nóbrega.

O artista, que trabalha com diversas linguagens sem, no entanto, se restringir a nenhuma delas, deixa claro que as criações da cultura popular brasileira formam o chão, a base para que ele possa reinventar as tradições populares, propondo diversas maneiras de apropriação e envolvimento com essa cultura.

Durante a mostra, o público pode encontrar o próprio artista. Antonio Nóbrega recebeu os visitantes semanalmente nesse espaço, onde realizou conversas. Assim, a exposição apresentou um pouco do passado de Nóbrega e, ao mesmo tempo, estabeleceu a conexão com o seu presente. “Como ele é um artista de palco, um artista de público, achei interessante incorporar os dois elementos: as referências visuais e a imagem do próprio artista Antonio Nóbrega”, enfatiza Walter Carvalho, o curador da mostra.

A exposição foi montada em São Paulo mas, estuda-se maneiras de estendê-la para outras regiões do país no segundo semestre de 2013 e, dependendo do apoio recebido, durante o ano de 2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!