quarta-feira, 12 de junho de 2013

Novo livro de Dan Brown, atrai curiosos para Florença, onde a história é ambientada


Florença: berço da cultura italiana


O escritor americano Dan Brown, autor de best-sellers como O Código Da Vinci e Anjos e Demônios, revelou na última quinta-feira (6) os segredos de seu novo sucesso, durante visita a Florença, onde os turistas começam a seguir os passos do herói da trama, Robert Langdon

Em visita para promover seu último livro, Inferno, inspirado no famoso escritor florentino, Brown falou em uma palestra intitulada A Necessidade de Mistério. "De alguma forma, eu acho que Dante inventou o inferno", disse Brown para uma plateia de centenas de admiradores, na maioria jovens italianos.

"Nossas mentes criam conexões entre eventos disparatados e isto frequentemente leva a teorias conspiratórias", afirmou. "Eu deixo o leitor decidir que caminho seguir", acrescentou. Guias de turismo já estão oferecendo "Tours Dan Brown" e hotéis, "Pacotes Dan Brown", menos de um mês depois do lançamento mundial do volume, em uma cidade que sente o impacto da crise econômica europeia no turismo.

"Definitivamente há interesse. Eu já tenho perguntas de vários turistas. Muitas pessoas leram o livro", disse Elisabetta Franchetti, guia da agência de passeios turísticos a pé ArtViva, que lançou sua rota inspirada em Brown. O itinerário de três horas percorre o centro de Florença, seguindo o rastro do professor de Harvard Robert Langdon, enquanto ele tenta evitar um ato de bioterrorismo que ocupa grande parte do livro "Inferno".

Franchetti explicou que o romance pode ser uma forma de os turistas terem acesso à herança cultural florentina, particularmente os pouco conhecidos recantos que servem de pano de fundo para a trama. O livro já vendeu 9 milhões de cópias em 13 países, enquanto seu romance mais conhecido, Código Da Vinci, vendeu um total de 81 milhões de cópias em todo o mundo. Franchetti conduziu um grupo pela Ponte Vecchio, sobre o rio Arno, ao longo do corredor Vasari, usado por Langdon no livro para iludir seus inimigos.

"A ideia é enriquecer tudo, permitir que as pessoas que não conhecem Florença, que não sabem quem foi Dante, quem foi Boccaccio, quem foi Petrarca, quem foi Maquiavel, se aprofundem, sejam mais curiosas", afirmou Franchetti. Embora não faltem turistas em Florença, as autoridades da cidade reclamam que os visitantes costumam ficar ali um dia e querem encorajá-los a permanecer mais tempo para ter uma compreensão mais profunda do que a cidade tem a oferecer.

Segundo dados oficiais, o número de turistas italianos que pernoitam em Florença caiu cerca de 5% no ano passado, enquanto o de estrangeiros diminuiu 0,9%, com quedas maiores entre aqueles procedentes de outros países europeus. Eugenio Giani, presidente da Sociedade Italiana Dante e diretor da câmara de vereadores de Florença, disse esperar que o romance inspire mais jovens a apreciar a obra de Dante Alighieri (1265-1321), autor da Divina Comédia.

O famoso livro é composto de três volumes, composto de Inferno, Purgatório e Paraíso. "O livro de Dan Brown é importante porque renova o interesse sobre Dante, mesmo na Itália", disse Giani, falando em uma sala do Palazzo Vecchio, de onde Langdon volta a escapar de seus perseguidores por uma porta secreta atrás do mapa da Armênia. "Dan Brown está contribuindo muito com seu interesse renovado", afirmou. Giani deu como exemplo seu filho de 14 anos, que está lendo o livro e tem perguntado ao pai sobre alguns lugares e artefatos mencionados no livro, como a máscara de Dante mantida no Palazzo Vecchio.

A autoridade municipal e fã de Dante disse que o livro também ajudou Florença porque coloca o autor no coração da cidade de onde ele foi exilado. Giani disse ter encontrado Brown e sugerido que ele volte a visitar a cidade "assim que terminar a confusão" para encontrar novos temas para seus romances. "Não faltam segredos aqui", declarou.

Referência: AFP


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!