terça-feira, 28 de maio de 2013

Chega em novembro, filme baseado na autobiografia de Nelson Mandela




O segundo homem mais respeitado do mundo é o tenista suíço Roger Federer, mas quem encabeça a lista é Nelson Mandela. Um ícone da luta contra o racismo, o ex-presidente da África do Sul começou a escrever sua biografia em 1974, enquanto cumpria pena que durou 27 anos em Roben Island


O filme autobiográfico de Nelson Mandela, "Longo caminho para a liberdade", chega às telonas em novembro. O anúncio foi feito na última segunda-feira (27/5) pelos produtores do filme na África do Sul.


A cinebiografia vai mostrar as memórias do grande líder sul-africano, da infância à liderança política, passando pelas lutas, pela prisão e pela libertação que o conduziram à presidência do país, feito inédito para um negro na África do Sul, país marcado pelo apartheid.

Mandela começou a escrever sua biografia em 1974 enquanto estava preso em Robben Island. O término só ocorreu após sua libertação, em 1990. Ele ficou 27 anos preso. Sua história de combate confunde-se com a com a do país, sendo impossível falar da África do Sul, sem fazer uma ligação com Mandela.

É o ator britânico Idris Elba que terá a delicada missão de dar vida nas telonas a Nelson Mandela, uma das personalidades mais respeitadas do mundo. "Estamos honrados com a autorização de Madiba (apelido de Mandela na África do Sul), para levar sua fascinante história de vida ao cinema", disse o produtor do filme, Anant Singh.

O produtor contou ter ficado muito feliz quando Mandela olhou certas imagens de Elba e perguntou: "o que eu estou fazendo ali?". "Este reconhecimento e esta afirmação de Madiba é muito importante, e faz pensar que valeu a pena querer levar o projeto adiante", explicou Singh. "Longo caminho para a liberdade" foi publicado em 1994 e traduzido em diversos idiomas. Singh comprou os direitos para fazer o filme em 1996.

O livro narra como os anos de clandestinidade, de luta armada e prisão de Mandela se confundem com o combate pela liberdade na África do Sul, minada por 40 anos de apartheid. O filme contou com a participação de um grande elenco sul-africano e foi filmado em diversos locais do Cabo oriental, província natal de Mandela. Além disso, o longa teve locações em Joanesburgo e Capetown.

De acordo com os produtores, a cinebiografia é o único filme que teve a autorização de Mandela e da Fundação Nelson Mandela, centro que trabalha em prol da luta do ex-presidente. Mesmo assim, o percurso de Mandela já foi tema de diversos filmes e documentários. Nelson Mandela, que não faz aparições públicas desde a final da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, está completamente fora da cena política. Neste ano ele foi hospitalizado diversas vezes em decorrência de complicações respiratórias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!