segunda-feira, 15 de abril de 2013

Lei que obriga rádios do Recife a tocarem frevo todos os dias será sancionada nesta terça(16)


Para preservar a cultura local e conter a invasão de outros ritmos musicais, o projeto pretende estimular a divulgação do ritmo todos os dias e não apenas durante o Carnaval

Pernambuco assiste há alguns anos, uma redução na produção e execução do frevo e uma verdadeira proliferação de outros ritmos, a exemplo do new sertanejo e, principalmente da axé music e o arrocha, vertentes oriundas da Bahia. Assim, uma lei que pretende estimular a produção de frevo e a manutenção do ritmo durante o ano todo será sancionada nesta terça-feira(16), às 17h, pelo prefeito Geraldo Júlio: a Lei Momento do Frevo. O ato acontece no gabinete do prefeito, no 9º andar do edifício-sede da Prefeitura da Cidade do Recife.


A determinação é bastante branda e institui que as rádios do Recife toquem apenas um frevo por dia, no horário entre 8h e 12h ou entre 14h e 18h, mas acredita-se que a medida irá incentivar a população a ouvir o ritmo com frequência e não apenas na folia carnavalesca. A lei pretende ainda abrir espaço para os novos compositores de frevo. "Hoje o jovem músico não produz frevo pois ele sabe que não haverá divulgação. Agora vamos abrir um espaço para eles", diz o autor do projeto.

A música escolhida ficará a critério do veículo de comunicação e a lei excluiu da obrigatoriedade, as rádios com fins de religiosos e de cunho apenas noticioso. "O ideal é que não fosse necessário uma lei para que as rádios tocassem frevo o ano todo, mas como ainda não há essa consciência, vamos tentar contribuir incentivando essa divulgação" conclui Marcos Aurélio, autor da lei. Em relação à fiscalização, acredita-se que ela será feita pelos próprios artistas, os maiores interessados em esse projeto dar certo.

Fica apenas uma dúvida: como os artistas não têm poder de punição o que acontecerá com quem descumprir a lei? Quem efetivamente se encarregará de fazer com que a norma seja seguida? São questões ainda por resolver, pois apenas promulgar a lei não resolve a problemática enfrentada pelo frevo, uma das maiores instituições pernambucanas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!