quinta-feira, 28 de março de 2013

Com "A Deposição de Cristo", o Masp completa obra religiosa





“A Deposição de Cristo": o corpo forte e definido de Jesus, as pernas do homem que o carrega são torneadas, percebemos que há uma grande preocupação com os detalhes do corpo. As expressões faciais também são detalhadas e exprimem emoção e sofrimento

Uma obra doada completará o díptico "A Deposição de Cristo", no acervo do Masp (Av. Paulista, 1578, São Paulo). O trabalho é datado do final do século 15, e seu lado esquerdo foi doado ao museu por Telmo Porto e Laís Zogbi Porto, no aniversário de 30 anos de casamento do casal. A tela retrata Cristo deposto da cruz em que fora supliciado.

O lado direito do quadro, que já pertencia ao museu, traz a Virgem Maria, São João e três mulheres em lamentação. Somente agora, com o díptico completo, é possível entender o motivo desse lamento. Segundo o curador do museu, Teixeira Coelho, são raras as reuniões desta espécie. A obra está aberta a visitação a partir desde a última quinta-feira.

Intensidade dramática da obra

A cena retratada, por si só já é dramática: a morte de Jesus Cristo. Podemos observar o drama nas expressões faciais de Jesus, daqueles que o carregam, das duas mulheres de cabeça baixa aos prantos e da mulher com os braços erguidos. Essa mulher demonstra além do sofrimento, um louvor aos céus, como se tivesse uma certeza de que Jesus morreu para salvá-los. Detalhes que só os gênios podem criar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!