sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Restaurante Leite: 130 anos de história na capital pernambucana


Tido como o mais antigo empreendimento do gênero em atividade no Brasil, o Restaurante Leite, em Recife, faz aniversário com festa comemorativa nesta quinta-feira (27), com traços e história que faz lembrar o Café Tortoni, em Buenos Aires


A história do Café Tortoni, em Buenos Aires, está ligada à vida cultural da cidade, servindo como um ponto de encontro de intelectuais reconhecidos, tanto argentinos como estrangeiros. O mesmo pintor Quinquella Martin, liderava uma espécie de confraria para promover as artes e as letras, chamado “La Peña“,também conhecida como “Agrupación Gente de Artes y Letras”,participaram e assistiram distintas personalidades como Arthur Rubinstein, Jorge Luis Borges, José Ortega y Gasset, Alfonsina Storni, Juana de Ibarbourou, Conrado Nale Roxlo, Ricardo Vinhas, Roberto Arlt, Baldomero Fernández Moreno e Molina Campos. Entre outras figuras ilustres são lembrados , Carlos Gardel, Albert Einstein, Federico García Lorca, o Rei da Espanha Juan Carlos de Bourbon e outros.

Café Tortoni: tradição secular em Buenos Aires

Em terras brasileiras, mais precisamente em Recife, existe um restaurante com história parecida. Estamos falando do Restaurante Leite que, assim como o Café Tortoni, foi ponto de encontro de políticos, empresários e intelectuais pernambucanos e, ainda hoje, atrai uma legião de clientes fidelizados e pessoas que desejam conhecer o centenário restaurante.
Pouquíssimos restaurantes brasileiros exibem a longevidade do Leite. Inaugurado pelo português Armando Manoel Leite de França, preserva até hoje os grandes janelões, os pesados móveis de madeira escura e os portentosos arcos do salão. A cozinha, que atraiu clientes ilustres como Juscelino Kubitschek e Assis Chateaubriand, está repleta de influências lusitanas do fundador.


O Leite mantém cardápio de qualidade sem ter preços extorsivos

Há exatos 130 anos o nome e o lugar são os mesmos. Já não se sabe mais o que é rua, o que é restaurante. Ao passar pela porta de vidro, ainda está lá, na mesa 19, Gilberto Freyre saboreando uma cartola “preparada de modo especial”. Lá, encontra-se também, um pouco mais ao centro, o ex-presidente Juscelino Kubitschek. Para ele, um supremo de garoupa ao molho de camarão ou um tornedorao molho madeira. Mais à esquerda, trinta cadeiras vazias ao redor de uma mesa. É que Assis Chateaubriand, Chatô, ligou reservando. Pediu apenas quinze lugares, mas o garçom sabe que sempre aparecem mais outros quinze “babões”. Ainda vivem ali, milhares de histórias impregnadas no recinto.

Restaurante Leite: 130 anos de história em Recife

Apenas para se ter uma ideia da importância do restaurante, ele se tornou parte da cidade e da história. Viu a abolição da escravatura, a Proclamação da República, a revolução de 1930, o golpe de 1964... Um dos motivos aos quais Armênio atribui o sucesso da casa é ter feito do corpo de funcionários uma família. O atendimento é altamente qualificado e, ao contrário do se pode imaginar, os preços passam longe do absurdo. Para o recifense ou visitante, uma visita ao local vai muito além da gastronomia: é um ato de alimentar o espírito.

Euriques  Carneiro

Um comentário:

  1. Se você ainda não conhece, venha... não bastasse o excelente comer, ainda pode-se desfrutar da aura de história que paira no Restaurante Leite. Imperdível!

    Antero Santana
    Olinda (PE)

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!