sábado, 18 de agosto de 2012

Filmes nacionais estão entre os favoritos para vencer os kikitos em Gramado





Filmes de estreantes nacionais roubam a cena e são os favoritos no Festival de Cinema de Gramado

Gramado (RS) - Quebrando a tradição de apresentar excelentes filmes estrangeiros (segmento, neste ano, representado por fitas do Chile, Uruguai, Argentina e Cuba), o 40º Festival de Cinema de Gramado projetou com maior intensidade o brilho do cinema nacional. Logo mais, a partir das 21h, será o momento de conhecer a lista de vencedores dos cobiçados troféus Kikito. Pela coerência inventiva e pelo domínio de linguagem (pouco apegado ao estabelecido), dois longas-metragens saltam léguas à frente, na competição: O que se move (São Paulo) e O som ao redor (Pernambuco).

Ambas fitas de estreantes em longas (respectivamente, Caetano Gotardo e Kleber Mendonça Filho) se impõem pela qualidade do roteiro, pelas inspiradas interpretações e pela injeção daquilo que mais comanda a atenção no cinema: o despertar da curiosidade e das emoções. 
Sob a ótica do estreitamento da relação com um público mais amplo, outro longa em competição,Colegas, tem cacife para surpreender. Trata-se de uma comédia espirituosa que alinha três improváveis assaltantes (num trio que tem a Síndrome de Down), todos empenhados no crime maior de perseguirem os próprios sonhos, numa conjuntura salpicada de referências cinematográficas.

 No quesito trilha sonora, o embate previsto é, com vantagem, entre os arranjos de André Abujamra para o documentário Futuro do pretérito: Tropicalismo now! e a perturbadora sonoridade impressa em Super nada, filme que deverá dar o Kikito de ator para Marat Descartes, na pele de um batalhador das artes cênicas, fadado ao descrédito. Só Breno Viola e Ariel Goldenberg têm possibilidades de desbancá-lo.

Fonte: CB


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!