domingo, 22 de julho de 2012

O ser humano e a busca pela superação dos limites



Corridas de aventura, rafting em cachoeiras repletas de crocodilos, escaladas em montanhas de gelo com risco de avalanche, expedições em cavernas desconhecidas... o que leva determinadas pessoas a correrem tamanho risco e desafiarem seus limites?

Vendo as últimas reportagens de Clayton Conservani, na série "Planeta Extremo" no Fantástico, fiquei a imaginar o que leva as pessoas a desafiarem seus limites físicos em nome do alcance de determinado objetivo. Quando assisti a matéria sobre a Maratona de Sables, onde os competidores percorreram 250 km em seis dias, lembrei-me dos meus tempos de atleta amador do SESI- Feira de Santana (BA), quando o meu limite era correr 5 km. Mesmo com as palavras de incentivo do professor Admilson Santos, eu chegava naquilo eu imaginava ser o meu ilmite.

Na maratona olímpica, percorre-se 42 km, 195 metros e é considerado um grande esforço do ser humano, mesmo para uma atleta experiente. Vejam as reações do corpo humano durante a maratona:

km 1 a 10 - O atleta sente uma pequena dor, resultado da distensão da cápsula do baço. O consumo de oxigênio está em seu patamar mais elevado 

km 11 a 25 -
 Entra-se na chamada fase de steady state. Equivale ao voo de cruzeiro de um avião. O consumo de oxigênio, a frequência cardíaca e a temperatura estão estáveis 

km 26 a 32 -
 O organismo começa a produzir endorfina. A substância oferece uma sensação de bem-estar, como se fosse uma droga analgésica. Durante 2 ou 3 quilômetros, tudo para de doer 

km 33 a 37 -
 Aqui ocorre boa parte das desistências. O atleta menos experiente, empolgado com a sensação prazerosa provocada pela endorfina, acelera além de seu limite 

km 38 a 42 -
 O corpo trabalha acima do linear aeróbico. Consome mais gás carbônico que oxigênio. Dá-se o acúmulo de ácido lático. Resultado: dores musculares, tonturas, náuseas e até vômito
 

Fiz o preâmbulo acima para falar do quanto os participantes desafiaram seus limites na Maratona de Sables, pelo Deserto de Saara. Em 6 dias, eles percorreram 250 km, sob temperaturas  que variavam de 51 graus durante o dia, a 5 graus negativos à noite. Some-se a estas dificuldades, o fato de carregar uma mochila com mais de 10 kg de equipamentos, as tempestades de areia, o risco de desidratação e a obrigatoriedade de continuar correndo mesmo esgotados fisicamente.

Foram 850 participantes e vários deles com perfis que em nada lembra um atleta. Havia um sexagenário cego, e quatro atletas portadores de deficiência que eram acompanhados por um grupamento de bombeiros. Em um único dia, eles tiveram que percorrer 81 km, em uma demonstração de extrema exigência dos limites físicos dos corredores. O repórter Clayton Conservani, em certo momento, recorreu a uma mensagem de apoio da família para conseguir seguir em  frente. Em uma outra sequência, seu companheiro de aventura Bernardo Fonseca, teve que furar varias bolhas que estouraram nos seus pés e ele seguiu em frente, mesmo com o corpo acusando a dor excruciante oriunda dos vários ferimentos e do extenuante esforço a que vinha se submetendo.

Diante da narrativa acima, retorno à minha indagação do início da matéria: em nome de que as pessoas se submetem a tamanho sofrimento? O reconhecimento, a fama, a alegria de se superar e mostrar que pode ir mais além? Certamente cada um tem os seus motivos e procuram, à sua maneira, a motivação para buscar sempre um degrau acima, mesmo com o sacrifício da própria saúde que, em alguns casos, deixam sequelas irreversíveis com as quais se vai conviver pelo resto da vida.

É tudo uma questão de livre arbítrio.


Euriques Carneiro

Um comentário:

  1. Boa noite

    Um Salmo, sem motivo especifico por ter deixado no seu blogger, mas especifico para que leia, simplesmente pela leitura das Escrituras de Deus, que sempre fala ao nosso SER.

    SALMO 10

    17 SENHOR, tu ouviste os desejos dos mansos; confortarás os seus corações; os teus ouvidos estarão abertos para eles;

    18 Para fazer justiça ao órfão e ao oprimido, a fim de que o homem da terra não prossiga mais em usar da violência.

    Abraços
    Jesus Cristo te Ama!
    Ele é o Caminho a Verdade e a Vida

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!