sexta-feira, 20 de julho de 2012

Harrison Ford chega aos 70 anos em forma para encarar mais uma aventura de Indiana Jones


Harrison Ford, o ator cuja imagem se confunde com a do personagem "Indiana Jones", completou 70 anos na última sexta-feira, 13. Mas nem só de "Indiana Jones", vive o laureado ator, afinal sua carreira é recheada de personagens marcantes em filmes de outros gêneros, que não os de aventura.
O hoje setentão Harrison Ford ("Harry", para os amigos) construiu sua carreira em torno da figura de um herói mortal, de carne e osso, incapaz de evitar problemas e que, apesar de apanhar até não poder mais de vários inimigos, sempre acabava se safando com seu inconfundível sorriso e o inseparável chapéu. O perfil de sobrevivente combina com a vida pessoal do ator, não menos agitada. Assim como Han Solo na saga Guerra nas Estrelas, Ford é um exímio piloto, mas de helicópteros, e, assim como Indiana Jones, também compartilha o gosto por expedições na selva, mas com uma organização ambientalista, em vez de arqueológica. Sua experiência aérea o levou a participar de operações de resgate em Wyoming, onde no fim dos anos 1980 encontrou um lar quando buscava um lugar para fugir do "estado tolo", como definiu à National Geographic em referência à Califórnia e à meca do cinema onde chegou em meados dos anos 1960.

Nascido em Chicago, Ford estudou em Wisconsin onde fracassou como universitário, mas viu nascer seu interesse pelo teatro. A estreia nas artes cênicas aconteceu em 1963 e, pouco depois, o ator se mudou para Hollywood com sua primeira esposa, Mary Marquardt, de quem se divorciou em 1978, após 15 anos de casamento, quando o sucesso bateu à sua porta. Da relação nasceram Benjamin e Willard Ford.

Tempos difíceis, uma família para sustentar e um trabalho instável em que não progredia, apesar de ter contratos com os estúdios Columbia e Universal e aparecer em séries como The Virginian (1967) e Gunsmoke (1972), Ford decidiu se tornar carpinteiro, à espera de sua grande oportunidade. Foi nessa época que, viajando como técnico em uma turnê da banda The Doors, o ator sofreu um acidente de carro que deixou sua inconfundível cicatriz no queixo.

O acaso bateu à sua porta e a sorte de Ford mudou em 1972 de forma inusitada. Quando instalava uma escada na casa do ator Glenn Ford, seu caminho cruzou com o de um jovem roteirista e diretor de curtas e documentários chamado George Lucas, que um ano antes tinha realizado seu primeiro filme, THX 1138. Lucas lhe deu um papel em seu segundo filme, Loucuras de Verão (1973) produzido por Francis Ford Coppola, então já uma celebridade por O Poderoso Chefão. O próprio Coppola convidou Harrison Ford para atuar em, entre outros, A Conversação (1974), e, mais tarde, para integrar a tripulação do que se tornaria a saga de ficção científica mais popular da história,Guerra nas Estrelas (1977).
Ford se tornou Han Solo a partir deste fime, papel que viveria novamente em O Império Contra-Ataca (1980) e O Retorno de Jedi (1983), até que Lucas, aliado agora a Steven Spielberg, criou um personagem ainda mais carismático, Indiana Jones, a que Ford deu vida pela primeira vez em Os Caçadores da Arca Perdida (1981). Um ano depois, o ator mergulhou no futuro decadente de Blade Runner, O Caçador de Andróides (1982) de Ridley Scott, como o agente Rick Deckard.

Indiana Jones, o intrépido professor de arqueologia, voltaria a ter vida em Indiana Jones e o Templo da Perdição, em 1984 e Ford, teria sua única indicação ao Oscar por A Testemunha em 1985. Em 1988, trabalhou com Roman Polanski em Busca Frenética e mostrou sua veia cômica em Uma Secretária de Futuro antes de voltar a empunhar o chicote em Indiana Jones e a Última Cruzada (1989).
 




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!