sábado, 7 de julho de 2012

"Forró das Antigas" resgata o autêntico forró em Feira de Santana


“Forró das Antigas”: Flávio José, Adelmário Coelho e Targino Gondim fazem a festa e levam música de qualidade para o público de Feira de Santana

Na última sexta-feira, 06.07, na casa de shows Garage, em Feira de Santana, três dos maiores representantes do forró autêntico  apresentaram  os seus maiores sucessos e, como se tornou rotina neste ano, homenagearam o mestre maior do gênero, Luiz Gonzaga.
Flávio José abriu a noite por volta das 23 horas e ratificou uma observação que faço desde que ele se lançou na carreira do cantor, no inicio da década de 90: ele é muito bom em disco, mas insosso nos shows. Apesar de interpretar seus maiores sucessos, - a maioria deles assinados por Petrúcio Amorim, - Flávio não consegue empolgar o público e fazer com que este entre no clima de festa. Mas o grande número de amantes do ritmo caíram no forró, embalados pelas sanfona do paraibano de Monteiro.
Logo depois, foi a vez de Adelmário Coelho reviver seus grandes hits e, tome-lhe homenagem ao “Mestre Lua”. O cantor aproveitou o 2012 e gravou o disco “Abrindo o Baú de Luiz Gonzaga”, onde interpreta  17 canções de várias épocas da carreira do “Nordestino do Século”. Ele mesclou sucessos consagrados do Rei do Baião, com músicas pouco conhecidas do grande público como a excelente “Terra, Vida e Esperança”, composta por Jurandy da Feira, apelido que ele ganhou de Gonzaga, mesmo sendo filho de Tucano (BA). O show de Adelmário Coelho é o mais bem elaborado, com um grande painel de led, dançarinos, coreógrafos e farta troca de figurinos durante o espetáculo. Em meio à apresentação, surge uma homenagem aos ritmos musicais de vários estados do país, que lembra bastante os shows de Alcymar Monteiro.
Por volta das 3 da madrugada, foi a vez do pernambucano de Salgueiro, mas radicado em Juazeiro (BA), Targino Gondim, entrar no palco. Pelo adiantado da hora, Targino se apresentou para uma publico cerca de 40% menor do que as outras duas atrações, mas deu o seu recado com a competência de sempre. Abriu o show com o seu maior sucesso, “Esperando na Janela”, - levada à ribalta pelo seu “padrinho” Gilberto Gil, - mas não deixou de fora outras canções de sua autoria, que fizeram com que os forrozeiros presentes caíssem no arrasta-pé. Como não podia deixar de ser, Targino também teceu loas a Luiz Gonzaga, exaltou a importância do mestre para a música nordestina e interpretou vários sucessos do ídolo maior do Nordeste.

Excelente a iniciativa de promover uma festa com artistas de qualidade e que mantêm acesa a chama da arte e da cultura nordestina. Que ela se repita em 2013, 2014, 2015...

Euriques Carneiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após análise.
Obrigado!